terça-feira, 29 de julho de 2014

Preços Abusivos em RPG: O Pessoal Anda Viajando na Maionese

Como disse um tempo atrás, no "Sobre a Venda de RPGs" o pessoal anda meio doido nos preços pedidos e pagos por livros.

Ok, eu sou um dos culpados, já que já comprei coisas por preços superfaturados, mas, em minha defesa, nada do que eu compro eu deixo de ler e, se possível, botar para o pessoal jogar (exceto Corporação Demos, que comprei por curiosidade, mesmo, mas não descarto mestrar um dia).



Antes de tudo, quem puder, assista o vídeo abaixo "As Marcas te Manipulam":

Um bom resumo de algumas das estratégias de mercado, o principal aqui é o termo "Referencial".
Quando você começa a subir preços, o que era considerado "caro" meses, ou mesmo semanas antes, passa a ser aceitável.

Você vê um livro X, por exemplo, Castelo Falkeinstein, por tipo uns 60 contos. bom preço, e justo.
Aí o cara chega e fala "Só 60?? Cara, pagava 100 contos fácil!" e as pessoas que estavam achando 60 caro passam a achar 60 barato (não conheço ninguém que faça isso de propósito, mas não duvido que existam).
E então alguém compra e revende por 110. E 110 passa a ser o preço, mesmo que outros estejam vendendo a 50 ou 60, ainda.

Aliás, quem vende a 60, ao saber de um preço tipo 110, passa a pedir 110 e não mais 60, mesmo que ninguém esteja (ainda) pagando isso.

E os preços vão subindo de forma acirrada.

Isso é um problema. Primeiro, os livros passam a ser comprados não mais pelo valor intrínseco, ou seja, a possibilidade de bons jogos ou, no mínimo, pela boa leitura que proporciona, mas como objetos de "arte" que nem sempre valem o que se pede.

Com isso, os livros circulam menos, o cara fica com mais medo de levar um livro caro em um encontro ou mesa com amigos (afinal, pensa ele com razão, algo ão caro é difícil de ser reposto), e as pessoas conhecem menos jogos,, o que é ruim para  o meio RPGistico como um todo.

Ok, vão dizer, "mas gente ganhando dinheiro com RPG é bom!". E não, não é, depende de como e com qual objetivo se ganha dinheiro. Nada contra o pessoal ganhar a vida, mas uma coisa é preço justo, outra é especulação.

O típico exemplo  são os "leilões". É possível se fazer um bom dinheiro se leiloando um livro. O problema e que um livro que começa com um preço razoável, acaba virando um elefante branco a um preço absolutamente impagável. E em geral, me desculpem a franqueza, com compradores que tem mais dinheiro que conhecimento sobre o que estão adquirindo de fato. Já vi gente pagando CARO por um livro e arrependida depois. Aliás, já vi várias pessoas fazendo isso.

Eu compro RPGs. Não os vendo. Quando muito, dou algum a um amigo (e não, não quero ficar amigo de ninguém, antes que venham com piadinha, hehehe). Mas é caso raro.

Minha sugestão para segurar o impulso antes de comprar algo é o seguinte (e vale para qualquer compra em shopping e afins):

ANTES de ver o preço de algo, pense com seus botões 
quanto VOCÊ acha que algo vale, no máximo.

Tipo "Cyberpunk 2020, quanto vale?"

Eu, que sou fã, creio que 60 reais é um bom preço. É um RPG muito bacana, mas está defasado em termos de tecnologia e regras, e existem boas opções cyber hoje em dia. Se for só para conhecer, sugiro buscar um pdf em inglês ou castelhano, mas se for realmente para ler, coisa pouco provável em muitos casos.

E quando digo que sou fã, sendo bem claro, é porque sou REALMENTE fã. Sou o blogueiro que mais escreve sobre o sistema, tenho todos os livros possíveis, conheço o sistema com a palma da minha mão (incluindo os bugs de sistema e ambientação) e sou capaz de adaptar qualquer sistema, implante, arma, veículo ou programa em poucos minutos (coisa que muitos são capazes com D&D, gurps etc, nada demais).

Quando vejo um Cyber 2020 sendo vendido a 150 reais, 200 reais fico pasmo. NÃO VALE isso tudo nem para mim.

Então, confiem em mim, está saindo caro se for muito além das 60 Dilmas. Não posso falar de nenhum outro com certeza, mas imagino que seja por aí.

Então: Viu um livro sendo vendido? Gostou?
Não veja  o preço ainda.
Primeiro, pense "Quanto essa bodega vale?" 

Chute um preço honesto a si mesmo. 40? 60? 80?
Considere a raridade do livro, a sua utilidade prática (por exemplo, você vai mestrar isso de coração um dia ou vai ficar enfeitando a estante?) . E se existem versões em PDF vendidas a preços módicos, que com uma impressão bacana, somando tudo, não saia mais barato (não estou estimulando a pirataria aqui, veja bem, falo de pdfs comprados, mesmo).

Se o preço estipulado por você for MAIOR que o pedido pelo vendedor (ou seja, está barato) beleza, repense se realmente quer comprar (não compre por impulso, se de um ou dois dias para pensar) e aí faça a oferta. em casos extremos, avise o vendedor que está interessado e peça algumas horas ou um dia para dar ou não "ok". E aproveite para pesquisar o preço em um mercado livre da vida. Algumas vezes o link pode ser usado, inclusive, para dizer ao vendedor "olha, tá pedindo caro, tem em tal lugar uma oferta por tanto".

Se o preço que pensou for MENOR, exceto se for por uma pequenina diferença (digamos, uns 10% de diferença, afinal existe inflação e coisa e tal)... não compre. E avise "não vou comprar porque achei caro". Educadamente. Mas  o vendedor precisa saber quando ele está viajando nos preços e possíveis compradores, idem.

Repita a operação para tudo, sempre que puder. De vídeo-games a camisetas, aliás.

E repita o mantra:
Diga não à especulação!"
Diga não à especulação!"
Diga não à especulação!"
(Sim, é a mesma imagem do "Calma é só RPG" reciclada. Economia é tudo, hehehe)
Se continuar pagando a fortuna que alguns compradores pedem, os preços vão continuar super-faturados. E isso não é bom para o seu bolso e para  o Hobby em si.

Só se lembre do seguinte: Não é o vendedor que é sacana por pedir muito, é você que está se fazendo de bobo por pagar o que ele pede sem questionar. Se você não cuidar do seu bolso, ninguém vai cuidar. Pense nisso.

(Agradeço ao Rooney pela sugestão da matéria)

Brega Presley

sexta-feira, 25 de julho de 2014

SAIA DA MASMORRA - JULHO/2014 - PREVISÃO DA MESAS

Olá amiguinhos!

O Saia da Masmorra tem o prazer de convidá-los para mais um evento lúdico de 2014, e teremos muitas atrações maneiras entre boardgames e mesas de RPG.

Começamos informando que no dia 26.07, como já foi amplamente divulgado durante a semana, teremos uma mudança de local extraordinária. O nosso evento este mês será no restaurante El Peso, que fica no Centro do Rio de Janeiro, cujo endereço está alocado no final da matéria.

E após o informativo, o SdM tem o prazer de lhes apresentar as mesas previstas para esse mês:

Sistema/Cenário: Dungeon Crawl Classics
Mestre: Diogo Nogueira - Criador de Bruxos & Bárbaros



Sistema/Cenário: GURPS 4e / XCOM - Prologue
Mestre: Edson Sorrilha

Boardgames: além das mesas, teremos algum boardgame sendo demonstrado. Quem quiser levar o seu também para apresentar a galera também é bem vindo!!!


Teremos também o sorteio de brindes dos nossos parceiros, portanto, vamos chegar cedo e lotar o evento, pois os brindes serão disponibilizados de acordo com a lotação.

Nosso encontro mensal, conforme informado, será realizado no Restaurante El Peso. Endereço: Rua Tenente Possolo, 24 - Centro.

Pra quem vem da Zona Sul pode vir de 433, 434, 464, 409, 410 e saltar no segundo ponto após a Cruz Vermelha, ou pegar o 173 e saltar no primeiro ponto após o túnel (antigo IASERJ).

Quem vem da Tijuca e Vila Isabel, tem o 433, 434, 409 e 410. Saltar em frente ao Kilograma ou Hospital Espanhol da Rua Riachuelo, atravessa a rua, entra na Av. Henrique Valladares até uma enorme sinagoga que fica na esquina da rua da pizzaria.

Vindo de Niterói, Zona Oeste ou Baixada Fluminense, a boa é saltar na Central do Brasil (inclusive pra quem vem de trem ou metro), e entrar na Rua General Caldwell, entre o posto Shell e o Rio Imagem. No fim desta rua ela vira, logo após a AV. Mém de Sá, Tenente Possolo, e são menos de 10 minutos de caminhada. Ou pode ir para Lapa e pegar qualquer ônibus em direção ao Sambódromo e saltar no segundo ponto após a Cruz Vermelha

Para quem ainda não conhece o evento, o intuito é reunir jogadores de RPG da nova e velha escola, e disseminar sistemas pouco conhecidos, alternativos, pouco jogados e sistemas antigos deixados na gaveta. Além é claro, de reunir a galera e criar novas amizades!

Se você tem coragem de mestrar, nós temos de jogar! Portanto, se tem vontade de narrar no evento e ainda não postou sua mesa, envie para nós!!!

O evento é GRATUITO, e todos aqueles que quiserem jogar/mestrar são bem vindos!!!

Nosso grupo no facebook é: https://www.facebook.com/groups/131812546896163/

Let's game!

Edson Sorrilha.

Porra, Associação Brasileira de Jogos!

Alguns meses atrás tivemos um panfleto que, extremamente pouco reflexivo, relacionava a Associação a uma imagem religiosa "satânica".
Defendi a Associação e critiquei publicamente o ocorrido. Esse tipo de coisa não trazia benefício algum ao RPG.

Agora é hora de fazer o inverso, sobre outra imagem que, igualmente, não contribui para nada.

Antes de tudo, uma rápida explicação:
Apesar de meu lado cretino e RPGista, trabalho com sexualidade humana. Sou psicólogo, já ajudei a desenvolver materiais didáticos e terapêuticos dentro da área, e se estou batendo nessa tecla, de novo, sobre como a comunidade RPGística precisa rever conceitos é porque conheço um pouco o outro lado, o de profissional de saúde mental que tem de dar suporte a vitimas de preconceito.

Tem havido alguns comentários dentro da comunidade de jogadores, tanto contra a DEVIR (no que eu concordo), como a favor. As alegações a favor são de que é "exagero" e que as moças estão trabalhando. NADA contra as modelos. O problema é o comentário, que transforma, primeiro, as mulheres em objeto, e em segundo, que ao invés de falar do que a Devir faz (ou deveria fazer) fica soltando frases imbecis em um meio onde as mulheres já sofrem preconceito e descriminação o suficiente.

Quando me posiciono contra postagens homofóbicas, como abaixo, não é, portanto, somente "exagero".
é, isto sim, um apelo aos gamers em geral para que coloquem a mão na consciência e pensem um pouco antes de falar ou compartilhar  determinadas coisas.

Sobretudo quando em nome de uma associação que, de um modo ou de outro, representa RPGistas de qualquer gênero.

Vamos crescer um pouco, moçada. Tá na hora.
Segue:

É o Lobo, é o Lobo!

Por uma bizarra coincidência, se a postagem "demonizadora" citada no começo do texto usava a imagem de um lobo em pele de cordeiro, a de baixo fala sobre o Lobo, da DC, personagem que, como tantos outros, está sendo remodelado.

Se no caso anteriormente criticado, um dos problemas mais sérios era reforço de uma imagem errônea que religiosos tem do RPG, neste a coisa anda de forma muito similar, só que mais direta e explícita.

Uma associação que é criticada e toma porrada de tudo quanto é lado no meio RPGístico sabe o que é ser "avacalhada" sem direito a uma reflexão justa de seus pares deveria ser mais consciente e sensível ao tipo de coisa que escreve e posta.

Compartilhar uma postagem homofóbica é um tremendo retrocesso, em vários sentidos, portanto.

Uma coisa é não gostar do visual do Lobo e criticar. Isso faz parte de qualquer mudança em personagens, e pode ocorrer pelos mais diversos motivos. (Por mim,  Hulk seria ainda cinza, por exemplo).

Outra é cair no erro de, ao tentar fazer rir, reproduzir um tipo de mentalidade tacanha e ofensiva a grupos que, sinceramente, não tem nada a ver com isso.

Imagem do Autor Marcelo Cassaro que criou certo borburinho, meses atrás.
"Purpurina" e "Viado do Caralho" são o tipo de expressões preconceituosas que se espera de uma moçada menos esclarecida. 

Aliás, como contraponto: assim como "Nerd Virgem", "Coisa de  Punheteiro" e "RPG é coisa do demônio" quando falam de RPGistas. O tipo de coisa, aliás, que tampouco se pede para "compartilhar". Se não gostamos quando terceiros falam isso de nós, isso deveria nos dar um pouco de clareza sobre o que a nós não é muito bacana de dizer.

Quando você compartilha uma imagem preconceituosa qualquer em sua página pessoal, você faz isso na sua págna pessoal, é problema sexual seu. Mas se faz em nome de um grupo e associa o RPG a este tipo de pasmaceira, na boa, aí a coisa muda de figura.

Veja, você não PRECISA gostar dos gays. Não é, nem de longe, isso que eles pedem. Mas há uma diferença entre não gostar dos mesmos e o como e onde defende sua opinião. O ódio a quem tem esta ou aquela sexualidade, quando envolve pessoas maduras e de comum acordo, já muda de figura. Não é da nossa conta se fulano dorme com Beltrano ou Siclana, quantas vezes faz isso e que posição prefere. Do mesmo modo, se um personagem é bacana, ele é por uma série de copisas e ser ou não homossexual, na boa (e é incrivel termos de falar isso em 2014, ainda) é um detalhe.

Acho interessante ver um monte de jogadores dizerem "Porra, o Tyrion eh foda, e esse personagem nos ajuda a diminuir preconceito" w o cara ter xilique porque Wolverine beijou sei lá quem ou o Lobo mudou o visual. Menos, né?

Enfim: Não tenho nada contra  o Claudino ou a Associação. Já me ajudaram de diferentes formas em projetos, e fazem divulgação de outros eventos e materiais, de autores diversos, o que é sempre positivo. 

Porém queremos um hobby sadio e bacana, passou um bocado da hora de começarmos a prestarmos atenção neste tipo de coisa. É muito mais complicado pedir para  o resto da sociedade um pouco de respeito quando reproduzimos "piadas" assim.

A imagem da postagem abaixo reproduzida em imagem, até onde sei, foi deletada, depois de criticada. Ok, que bom.

O problema é ela TER é ter sido publicada, de saída. Basta ver o tipo de comentário tacanho que ela gerou. 

Se queremos ser tratados como adultos, é passada a hora de nos comportamos assim. Comentários toscos, como o machismo expresso pela Devir, dias atrás, e esse, do começo do mês, indicam que o meio ainda precisa amadurecer um bocado e ser mais responsável, sobretudo em um meio em que vários jogadores, mestres e mesmo autores SÃO homossexuais e trazem inúmeras boas contribuições ao RPG e Boardgame.


Sou heterossexual, pai  de dois filhos, faço oficina de RPG e jogos com crianças e adolescentes e digo, sem o menor medo de errar, que se tem uma coisa que os jogos são capazes de fazer é ensinar tolerância.
Se RPG é uma ferramenta pedagógica poderosa, essa é uma faca de dois gumes, pois não? Então, de novo, vamos ser um pouco mais responsáveis com aquilo que postamos em nome de outros RPGistas.


Ps: Se você acha que  o ódio não é problema seu, reveja seus conceitos.
Por exemplo:

Brega

quarta-feira, 23 de julho de 2014

SAIA DA MASMORRA - POSTAGEM MIL - MUDANÇA DE LOCAL DO EVENTO DE JULHO/2014

Olá amiguinhos!

Primeiramente, gostaria de parabenizar a todos vocês que nos incentivaram a chegar a essa miléssima postagem. Os comentários e o número de acesso ao blog do nosso amado evento fazem com que tenhamos empenho em trazer sempre matérias de qualidade para vocês.

Agradeço também a todos os membros que passaram pela coordenação e pela colaboração aqui no blog. Acreditem, sem suas postagens, nada disso teria sido possível.

Infelizmente, a notícia da postagem 1000 do blog não é a melhor, pois trata da mudança extraordinária do local do evento em julho de 2014. Sim, este mês o evento não vai ocorrer no nosso tradicional templo nerd, a Point HQ, mesmo tendo mudado a data do evento, devido a copa, o calendário e eventos da loja ficou apertado, e um mal entendido na combinação das datas entre a organização e a loja, tivemos de mudar para um local alternativo para que o evento deste mês pudesse ocorrer.

O novo local será na Pizzaria "El Peso", localizada na rua Tenente Possolo, 24 - Centro. O local tem ar condicionado, mesas, comida e bebida. Seguem algumas instruções para quem quiser ir ao encontro, como ônibus e referências, as quais reproduzimos abaixo:

Pra quem vem da Zona Sul pode vir de 433, 434, 464, 409, 410 e saltar no segundo ponto após a Cruz Vermelha, ou pegar o 173 e saltar no primeiro ponto após o túnel (antigo IASERJ).

Quem vem da Tijuca e Vila Isabel, tem o 433, 434, 409 e 410. Saltar em frente ao Kilograma ou Hospital Espanhol da Rua Riachuelo, atravessa a rua, entra na Av. Henrique Valladares até uma enorme sinagoga que fica na esquina da rua da pizzaria.

Vindo de Niterói, Zona Oeste ou Baixada Fluminense, a boa é saltar na Central do Brasil (inclusive pra quem vem de trem ou metro), e entrar na Rua General Caldwell, entre o posto Shell e o Rio Imagem. No fim desta rua ela vira, logo após a AV. Mém de Sá, Tenente Possolo, e são menos de 10 minutos de caminhada. Ou pode ir para Lapa e pegar qualquer ônibus em direção ao Sambódromo e saltar no segundo ponto após a Cruz Vermelha.

Até agora confirmadas as mesas de DCC RPG do Diogo Nogueira, e a mesa de GURPS 4E narrador por mim, com uma adaptação do jogo XCOM. Ainda estamos a espera da confirmação de mais duas mesas, e em breve informaremos na postagem de previsão das mesas.

Espero que todos compreendam e que compareçam em massa!

Let's game!

Edson Sorrilha.